O que é cistite?

cist = bexiga ite = inflamação

A cistite é uma infecção e inflamação da bexiga que, na maioria das vezes, ocorre por contaminação da bactéria Escherichia coli.

Essa é uma bactéria natural em nosso organismo e está presente no intestino e no trato urinário. Ela pode atingir a uretra e chegar à bexiga, levando ao aparecimento de sinais e sintomas de infecção do sistema urinário, como urgência em urinar e ardência ou queimação durante a micção.

Quais as causas da cistite?

Além da contaminação pela bactéria, a cistite pode aparecer como consequência de situações que favorecem a proliferação dos microrganismos: menopausa, lesões causadas durante a relação sexual ou como consequência do uso de sonda vesical e uso frequente de sabonetes íntimos. Estes últimos, provocam o desequilíbrio do pH da região genital, favorecendo a ocorrência de infecções.

Existem vários tipos de cistite: 

A cistite crônica = cistite intersticial é diferente da aguda e nem sempre relacionada a bactérias.

A cistite actínica ocorre pelo efeito colateral da radioterapia (sem bactérias).

É importante que a cistite seja identificada e tratada precocemente. Dessa forma, é possível evitar que a bactéria chegue aos rins e resulte em complicações severas. 

Principais sintomas

  • Vontade frequente de urinar, porém com pouco volume de urina;
  • Dor ou ardência ao urinar;
  • Presença de sangue na urina;
  • Urina escura, turva e com cheiro muito intenso;
  • Dor no fundo da barriga ou sensação de peso;
  • Mal-estar geral ou fraqueza.

Em adultos, embora possa surgir febre, normalmente não é maior que 38º C. Porém, se a febre passar de 38º C ou houver dor nas costas muito intensa, pode ser um sinal de que houve comprometimento dos rins.

Nas crianças, a cistite pode ser muito difícil de identificar porque elas têm dificuldade em explicar o que sentem. No entanto, alguns sinais que podem indicar este problema incluem fazer xixi na calça durante o dia ou na cama durante a noite, febre acima de 38° C, cansaço excessivo ou irritabilidade, por exemplo.

Durante a gravidez, a cistite pode ser mais frequente. Nessa fase, a mulher possui um comprometimento natural do sistema imune, favorecendo o desenvolvimento de microrganismos e a ocorrência de infecções urinárias.

Como é feito o diagnóstico?

O diagnóstico da cistite é feito por um urologista ou ginecologista.

Para concluir o diagnóstico, o médico avalia os sintomas apresentados e pode ainda solicitar um exame de urina para que sejam analisadas as características da urina, bem como identificar se há sinais de infecção.

No caso do paciente tiver colonizado por bactérias, mas sem infecção (assintomático, nitrito negativo no exame de urina e sem aumento de leucócitos), não devemos tratar o paciente, pois o uso de antibiótico (desnecessário) aumentaria a resistência bacteriana e, no futuro, se o paciente tiver uma infecção fica mais difícil de tratar.

Além dos exames de urina, o ultrassom da bexiga pode ser solicitado para verificar se há sinais de inflamação na bexiga. O histórico familiar e individual também são fatores importantes para que possa ser indicado o tratamento mais adequado para cada paciente.

Para esclarecer dúvidas pontuais sobre o tema, agende uma teleorientação pelo nosso site. Ou se preferir, solicite uma consulta com os urologistas do CBU, clicando aqui.