O freio do pênis

O freio se trata de uma pele que fica na parte inferior do pênis, que conecta a glande (cabeça) à superfície interna do prepúcio (pele que recobre a glande).

Algumas funções são:

– Proteger: mantém o prepúcio na posição correta, cobrindo a glande com o pênis flácido.

– Facilitar o ato sexual: permite o deslocamento do prepúcio e exposição da glande durante a ereção.

O freio do pênis curto ocorre quando a pele que liga o prepúcio à glande é mais curta que o normal, o que gera muita tensão durante uma ereção.

Quando não tem o tamanho adequado, pode causar curvatura excessiva, que se acentua durante a relação sexual, principalmente durante a penetração.

Mas como saber se você possui o freio curto?

Geralmente, o homem sente uma pequena pressão sobre o freio e não consegue puxar completamente a pele sobre a glande. Mas existem outros sinais de alerta. São eles:

– Desconforto durante as relações sexuais;

– A posição da glande pende para baixo;

– A pele da glande não consegue ser puxada para trás completamente;

– Dor durante as relações sexuais;

– Ejaculação precoce.

Consequências do freio curto

Quanto mais curto for o freio, maior a probabilidade da ocorrência de problemas, principalmente durante as relações sexuais.

A brevidade do freio está frequentemente relacionada a problemas de ejaculação precoce, ou seja, um freio curto que entra em tração durante a relação sexual pode levar à hiperestimulação dos receptores que transmitem a sensação de prazer, resultando em menor latência ejaculatória.

Mas atenção: o freio curto nem sempre é a causa da ejaculação precoce, assim como o alongamento cirúrgico do freio (frenuloplastia) nem sempre resolve o problema.

Por exemplo, os casos de ejaculação precoce que ocorrem antes da penetração ou, de qualquer maneira, devidos primariamente à excitação mental, não podem ser atribuídos a nenhum aspecto da fisiologia peniana.

O que é frenuloplastia?

A frenuloplastia é um tratamento cirúrgico ambulatorial que não exige internação.

É realizada no pênis do paciente com anestesia local, onde o freio é cortado para poder liberar a pele e reduzir a tensão provocada durante a ereção.

O procedimento demora em torno de 15 a 20 minutos e, após seu término, o paciente pode ir para casa.

Orienta-se um período de repouso e um período de abstinência sexual para cicatrização. Além de uso, recomenda-se uso de analgésicos e gelo no local.

Usar roupas largas e folgadas favorece o conforto e a recuperação durante os primeiros dias. Os pontos não precisam ser retirados pois caem sozinhos.

Para esclarecer dúvidas pontuais sobre o tema, agende uma teleorientação, pelo nosso site. Ou se preferir, solicite uma consulta com os urologistas do CBU, clicando aqui.