Crianças podem sofrer com pedras nos rins?

Quando falamos de pedras nos rins, sempre pensamos em adultos ou idosos que sofrem com esse problema.

Raramente associamos esse problema às crianças, mas não é tão raro assim quanto imaginamos.

De acordo com o Instituto Pensi – Pesquisa e Ensino em Saúde Infantil, existem muitos tipos de pedras renais em crianças.

O mais comum contém cálcio em associação com outros materiais. Os cálculos variam em tamanho, a partir de uma fracção de uma polegada de vários centímetros, com a maior parte ao redor de 0,5 a 1 cm de tamanho.

Sintomas

Nas crianças, o sintoma que dá o sinal de alerta mais urgente é quando aparece sangue na urina. Isso acontece porque muitas vezes as crianças têm dificuldade de explicar exatamente onde está a dor e indicam que é na barriga o problema.

Existem crianças que não se queixam de dor e o diagnóstico só é percebido durante uma consulta de rotina com o pediatra ao ser relatado algum tipo de situação atípica com o hábito urinário do pequeno.

Algumas vezes as pedras nos rins só são detectadas por meio de exame de sangue, outras vezes é possível ver a olho nu.

Tratamento

Uma vez que uma pedra é descoberta, o foco é resolver o problema. Um dos primeiros passos do tratamento é fazer com que a criança beba uma grande quantidade de líquidos.

Quando a pedra é considerada pequena, o objetivo é tentar “eliminá-la” sem nenhuma intervenção maior. Se a criança não consegue urinar por causa da dor e náuseas, pode ser necessário introduzir uma medicação intravenosa para aliviar a dor e incentivar a urina.

Pedras maiores do que um centímetro pode exigir cirurgia ou litotripsia para removê-las. Embora possa parecer invasivo e preocupante, é um procedimento bastante seguro e não danifica os rins.

Prevenção

O melhor tratamento é a prevenção, seja para evitar a formação de novas pedras ou para que elas não apareçam pela primeira vez.

Para manter a saúde dos rins e deixar as pedras bem longe das crianças, temos as recomendações de sempre:

• Beber muito líquido ao longo do dia;
• Limitar os sais minerais em sua dieta;
• Limitar a quantidade de sódio ou refrigerantes que consomem.

O urologista também pode recomendar que o seu filho consulte um nefrologista pediátrico ou urologista que tenha experiência no tratamento de crianças com pedras nos rins.

Para esclarecer dúvidas pontuais sobre o tema, agende uma teleorientação, pelo nosso site. Ou se preferir, solicite uma consulta com os urologistas do CBU, clicando aqui.